Videoteca

Aqui estão os meus filmes favoritos, filmes que me emcionam, me fazem rir, pensar e acima de tudo, despertaram em mim a vontade de fazer cinema. Estes filmes serão sempre referência e inspiração na minha vida!

Magnolia, EUA 1999 (188 min.)
Paul Thomas Anderson

magnoliaO que dizer sobre este filme? Para mim, uma eterna inspiração e referência. Magnólia foi o filme que talvez tenha tido o maior impacto sobre mim. Ao terminar de assistir eu corri para o computador e comprei na hora o CD com a trilha sonora, que é outra maravilha por si só. Com praticamente todas as músicas compostas e cantadas pela Aimee Mann, e mais duas maravilhosas do Supertramp, foram as músicas da cantora que serviram de inspiração para o diretor e roteirista: “Entre o verão e o outono de 1997, após ouvir as músicas de Aimee várias e várias vezes sem parar, eu me sentei e escrevi uma adaptação para tela de cinema.” P.T. Anderson, setembro de 1999.

Com uma introdução de arrepiar, Magnolia traça o perfil de 8 personagens que vivem em Los Angeles, em apenas um dia de suas vidas, ilustrando como essas vidas que aparentemente não tem nenhuma relação entre si, se encontram e influênciam umas nas outras. No final, uma surpresa inesperada irá fazer você pensar: “Mas o que aconteceu?”. Imperdível!

________________________________________________________________________________________________

De Olhos Bem Fechados (Eyes Wide Shut), EUA 1999 (159 min.)
Stanley Kubrick

de-olhos-bem-fechadosOutro filme que ao terminar de assistir me deixou paralizado. O que a princípio pode parecer mais um filme blockbuster, por conta das estrelas Tom Cruise e Nicole Kidman, que na época em que fizeram o filme eram casados, é muito mais do que isso, eu diria a obra prima do mestre Kubrick, que dedicou mais de dois anos da sua vida para o projeto, e que morreu assim que finalizou o filme, antes mesmo de sua estréia no cinema. Logo na abertura do filme você é jogado para dentro da intimidade do casal Bill e Alice Harford (Cruise e Kidman) e aos poucos vai percebendo que a realidade por trás de uma vida perfeita não é assim tão perfeita. O filme para mim é uma verdadeira terapia de casal. Bom para assistir acompanhado e refletir sobre suas relações!

________________________________________________________________________________________________

Vanilla Sky, EUA 2001 (137 min.)

Cameron Crowe

vanilla-sky1Adaptação hollywoodiana para o filme espanhol “Abra Los Ojos” de Alejandro Amenábar. Muitos podem pensar, “qual o sentido de refazer um filme?”, simples, se você tem algo a acrescentar e ainda por cima uma visão de que aquela idéia original pode se desdobrar de outras formas, não necessariamente melhores, mas com uma riqueza artística enorme, faça. E foi o que fez o diretor Cameron Crowe, que sem nenhuma pretensão de roubar a idéia ou passar por cima do autor, pois ele colocou no DVD do filme um documentário explicando e dando o todo o crédito ao Alejandro, fez uma adaptação maravilhosa, ainda mais vivída e emocionante que o original. Contando com uma estrutura maior e ambientando a estória em Nova York, o filme cresceu e ganhou vida própria, mais do que um sonho, uma realidade extraordinária. Abra seus olhos ao assistir o filme, pois o diretor o transformou em um quebra-cabeças e é preciso prestar muita atenção para entender o que está acontecendo. Open your eyes!

_______________________________________________________________________________________________

Um Domingo Qualquer (Any Given Sunday), EUA 1999 (157 min.)
Oliver Stone

um-domingo-qualquer1Um filme agitadíssimo disse um crítico do Chicago Tribune, mas eu concordo mais com o New York Post que públicou “Um filme vibrante e fenomenal”. Contando com um elenco de primeira (Dennis Quaid, Jamie Foxx, Cameron Diaz, James Woods, LL Cool J e para mim uma das melhores atuações do sensacional Al Pacino. Neste filme, ele interpreta o polêmico e explosivo técnico de futebol Americano Tony D’Amato, que enfrenta uma crise em seu time por ter perdido quatro jogos consecutivos. Por se tratar de um jogo, que ao mesmo tempo é muito estratégico e muito violento, Oliver Stone usa e abusa de efeitos e sons ao mostrar as partidas, o que nos dá uma outra noção de como é pisar num campo de futebol americano em dia de jogo. Além disso, ele mostra como funciona os bastidores de um time profissional nos EUA, que movimenta muito dinheiro e torna a vida das pessoas envolvidas uma verdadeira panela de pressão, prester a explodir. Assista e conheça um outro lado do esporte, o que realmente existe nos dias de hoje.

________________________________________________________________________________________________

Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Bueller’s Day Off), EUA 1986 (102 min.)
John Hughes

curtindo-a-vida-adoidadoClássico da sessão da tarde! Quem nunca passou uma tarde de quinta-feira em casa, no sofá, assistindo a sessão da tarde sem se preocupar com nada? Felizmente eu tive essa oportunidade, e adorava fazer isso. Depois de fazer a lição de casa e arrumar a minha cama, as únicas preocupações que eu tinha na vida, eu me sentia livre para fazer o que quisesse, tipo, jogar video game, brincar com os amigos na rua e correr para frente da TV e ficar assistindo a tarde toda. Numa época onde o shopping era o lugar mais longe que eu costumava ir, assistir aqueles garotos, cabulando aula e curtindo muito um dia na cidade visitando museus, almoçando num restaurante caro, indo a um jogo de beiseball e entrando de penetra numa parada comemorativa cantando Twist and Shout dos Beatles, era realmente o máximo. Tudo isso, sem serem pegos pelo terrível e desajeitado diretor da escola. Um sonho para qualquer aluno da quinta série.

________________________________________________________________________________________________

Os Bons Companheiros (Goodfellas), EUA 1990 (145 min.)
Martin Scorsese

bons-companheirosUm filme excepcional. Narrando sua história, desde criança, Henry (Ray Liotta) conta e nos mostra como é fazer parte da máfia italiana em Nova York. Com personagens marcantes e cenas inesquecíveis, você vai se sentir um membro dessa organização que está em atividade até os dias atuais e que inspira cineastas do mundo todo a fazer grandes filmes. Traição e morte são sinonimos no vocabulário desses personagens. Contando também com Robert De Niro e Joe Pesci, Tommy e James, amigos e sócios de Henry, o filme ilustra de maneira brilhante e com muito sangue, todos os lados dessa moeda, que possui mais lados do que pode parecer.

________________________________________________________________________________________________

Casablanca, EUA 1942 (103 min.)
Michael Curtiz

Não é a toa que Casablanca é considerado o segundo melhor filme da história do cinema nas principais listas e rankings do mundo. O filme é extraordinário! Com personagens marcantes como Rick (Humphrey Bogart) e Ilsa (Ingrid Bergman) o excelente diretor Michael Curtiz nos faz viajar em um mundo cheio de contrastes, onde sonhos e esperanças são confrontados com intolerância e corrupção. Filmado em plena 2ª Guerra Mundial, o filme retrata a situação de refugiados Europeus tentando escapar dos Nazistas que aterrorizavam a Europa. Em meio ao caos, um casal vive o drama de ter que escolher entre o amor e um futuro melhor em liberdade na América. Entre indas e vindas, eles sempre terão Paris e nós sempre teremos Casablanca… para ver e rever inúmeras vezes!!

________________________________________________________________________________________________

Cantando Na Chuva (Singin’ in the Rain), EUA 1952 (103 min.)
Stanley Donen, Gene Kelly

Cantando Na ChuvaClássico do cinema (ponto final). Talvez essa seja a melhor definição para este filme, afinal quem nunca viu ou ouviu a famosa cena de Gene Kelly dançando e cantando na chuva. Com imagens e músicas que fazem parte do inconsciente coletivo do mundo todo, o filme também é uma verdadeira declaração de amor a Hollywood, seus estúdios extraordinários e seus filmes que há anos nos fazem rir, chorar, dançar, cantar, enfim, nos emocionar! Ao rever o filme eu fiquei realmente impressionado com a capacidade de se produzir uma obra tão magnífica quanto esta em um tempo, onde apesar da estrutura de Hollywood, tudo era feito de forma muito mais artesanal, sem computadores, sem modernos equipamentos eletrônicos capazes de fazer quase tudo o que é possível imaginar. Nesse tempo, o talento dos profissionais envolvidos no filme é que fazia a diferença, e aqui fizeram uma verdadeira obra-prima! Certamente tudo o que se vê na tela, as maravilhosas sequências de danças, movimentos de câmera, performances musicais e sapateados, deram muito trabalho a todos. A jovem atriz Debbie Reynolds chegou a sair do estúdio direto para um hospital com os pés machucados e  sangrando, devido as longas horas de filmagens. O próprio Gene Kelly fez a sequência da chuva, que além de água também contava com litros e litros de leite para ficar mais “cinematográfico”, com febre alta para que as filmagens não fossem adiadas novamente, pois uma forte seca na região já havia atrasado o cronograma dessa sequência. O resultado está lá, como diriam alguns professores da Academia de Cinema, impresso na tela. É ver para crer!

________________________________________________________________________________________________

Uma Lição de Amor (I Am Sam), EUA 2001 (132 min.)
Jessie Nelson

DVD Uma Lição de AmorJá assistiu? Não!? Então por favor assista. O título, apesar de não ter nada a ver com o original, dá uma boa pista do que você vai ganhar ao ver o filme. Além de uma linda lição de amor, o filme é uma grande lição de vida, mostrando e dando ótimos exemplos de cidadania, respeito, tolerância e é claro amor! Ao assistir esse filme você vai se emocionar. Contando com uma atuação maravilhosa de Sean Penn no papel de Sam e com uma trilha sonora sensacional, composta apenas por músicas dos Beatles, interpretadas por diversos artistas como Eddie Vedder, Ben Harper, Sheryl Crow e Aimee Mann, o filme nos faz rir, chorar e pensar a respeito do mundo em que vivemos e o que realmente importa no fim do dia, ter uma bela conta no banco ou a atenção e o carinho das pessoas que você ama?

________________________________________________________________________________________________

Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (Annie Hall), EUA 1977 (93 min.)
Woody Allen

Comédia de Woody Allen, pronto, acho que assim já da para todos entenderem do que esse filme se trata, não!? Bom, sem querer definir ou limitar a imensa e maravilhosa filmografia deste verdadeiro gênio do cinema a um filme, eu acho justo dizer que Annie Hall (por favor né, vamos deixar essa tradução para o português… bom deixa pra lá) mas voltando ao assunto, há então o filme. Sim é Woody Allen em uma de suas melhores atuações sem dúvida nenhuma. Há também tem a Diane Keaton, o que mais… o filme começa com um monólogo que só o Woody Allen poderia fazer, tem cenas de flashback que só o Woody Allen poderia fazer e diálogos, enquadramentos, personagens, roteiro que só o Woody Allen faz! Humor, drama, obsessão, amor,  falta de noção, sim tudo junto, misturado e bem filmado. Quer mais? “La-di-da…”